Classess de palavras – Parte 3

Classess de palavras – Parte 3

Substantivos em -ÃO e seus plurais:

  • alão – alões, alãos, alães;
  • aldeão – aldeãos, aldeões;
  • capelão – capelães;
  • castelão – castelãos, castelões;
  • cidadão – cidadãos;
  • cortesão – cortesãos;
  • ermitão – ermitões, ermitãos, ermitães;
  • escrivão – escrivães;
  • folião – foliões;
  • hortelão – hortelões, hortelãos;
  • pagão – pagãos;
  • sacristão – sacristães;
  • tabelião – tabeliães;
  • tecelão – tecelões;
  • verão – verãos, verões;
  • vilão – vilões, vilãos;
  • vulcão – vulcões, vulcãos.

Alguns substantivos que sofrem metafonia no plural:

abrolho, caroço, corcovo, corvo, coro, despojo, destroço, escolho, esforço, estorvo, forno, forro, fosso, imposto, jogo, miolo, poço, porto, posto, reforço, rogo, socorro, tijolo, toco, torno, torto, troco.

Substantivos só usados no plural:

anais, antolhos, arredores, arras (bens, penhor), calendas (1º dia do mês romano), cãs (cabelos brancos), cócegas, condolências, damas (jogo), endoenças (solenidades religiosas), esponsais (contrato de casamento ou noivado), esposórios (presente de núpcias), exéquias (cerimônias fúnebres), fastos (anais), férias, fezes, manes (almas), matinas (breviário de orações matutinas), núpcias, óculos, olheiras, primícias (começos, prelúdios), pêsames, vísceras, víveres etc., além dos nomes de naipes.

Coletivos:

  • alavão – ovelhas leiteiras;
  • armento – gado grande (búfalos, elefantes);
  • assembléia (parlamentares, membros de associações);
  • atilho – espigas;
  • baixela – utensílios de mesa;
  • banca – de examinadores, advogados;
  • bandeira – garimpeiros, exploradores de minérios;
  • bando – aves, ciganos, crianças, salteadores;
  • boana – peixes miúdos;
  • cabido – cônegos (conselheiros de bispo);
  • cáfila – camelos;
  • cainçalha – cães;
  • cambada – caranguejos, malvados, chaves;
  • cancioneiro – poesias, canções;
  • caterva – desordeiros, vadios;
  • choldra, joldra – assassinos, malfeitores;
  • chusma – populares, criados;
  • conselho – vereadores, diretores, juízes militares;
  • conciliábulo – feiticeiros, conspiradores;
  • concílio – bispos;
  • canzoada – cães;
  • conclave – cardeais;
  • congregação – professores, religiosos;
  • consistório – cardeais;
  • fato – cabras;
  • feixe – capim, lenha;
  • junta – bois, médicos, credores, examinadores;
  • girândola – foguetes, fogos de artifício;
  • grei – gado miúdo, políticos;
  • hemeroteca – jornais, revistas;
  • legião – anjos, soldados, demônios;
  • malta – desordeiros;
  • matula – desordeiros, vagabundos;
  • miríade – estrelas, insetos;
  • nuvem – gafanhotos, pó;
  • panapaná – borboletas migratórias;
  • penca – bananas, chaves;
  • récua – cavalgaduras (bestas de carga);
  • renque – árvores, pessoas ou coisas enfileiradas;
  • réstia – alho, cebola;
  • ror – grande quantidade de coisas;
  • súcia – pessoas desonestas, patifes;
  • talha -lenha;
  • tertúlia – amigos, intelectuais;
  • tropilha – cavalos;
  • vara – porcos.

Substantivos compostos:

Os substantivos compostos formam o plural da seguinte maneira:

  • sem hífen formam o plural como os simples (pontapé/pontapés);
  • caso não haja caso específico, verifica-se a variabilidade das palavras que compõem o substantivo para pluralizá-los. São palavras variáveis: substantivo, adjetivo, numeral, pronomes, particípio. São palavras invariáveis: verbo, preposição, advérbio, prefixo;
  • em elementos repetidos, muito parecidos ou onomatopaicos, só o segundo vai para o plural (tico-ticos, tique-taques, corre-corres, pingue-pongues);
  • com elementos ligados por preposição, apenas o primeiro se flexiona (pés-de-moleque);
  • são invariáveis os elementos grão, grã e bel (grão-duques, grã-cruzes, bel-prazeres);
  • só variará o primeiro elemento nos compostos formados por dois substantivos, onde o segundo limita o primeiro elemento, indicando tipo, semelhança ou finalidade deste (sambas-enredo, bananas-maçã)
  • nenhum dos elementos vai para o plural se formado por verbos de sentidos opostos e frases substantivas (os leva-e-traz, os bota-fora, os pisa-mansinho, os bota-abaixo, os louva-a-Deus, os ganha-pouco, os diz-que-me-diz);
  • compostos cujo segundo elemento já está no plural não variam (os troca-tintas, os salta-pocinhas, os espirra-canivetes);
  • palavra guarda, se fizer referência a pessoa varia por ser substantivo. Caso represente o verbo guardar, não pode variar (guardas-noturnos, guarda-chuvas).

2 Adjetivo:

É a palavra variável que restringe a significação do substantivo, indicando qualidades e características deste. Mantém com o substantivo que determina relação de concordância de gênero e número. Continua na parte 4

                 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *