Menu fechado

Tag: Concurso CPTM

Operações com números naturais e fracionários: adição, subtração, multiplicação e divisão

Operações com números naturais e fracionários: adição, subtração, multiplicação e divisão

Pertencem ao conjunto dos naturais os números inteiros positivos, incluindo o zero. Esse conjunto é representado pela letra N maiúscula. Os elementos dos conjuntos devem estar sempre entre chaves.

N = {0, 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9, 10, 11, 12, 13, … }

Os números naturais são aqueles que usamos diariamente para contar objetos, números. Por exemplo: 1, 2, 55, 325 e assim por diante. Com os números naturais é possível realizar diversas operações matemáticas: adição, subtração, multiplicação e divisão. Veja:

ADIÇÃO

24 + 50 = 74

Você iguala as casas das dezenas e faz a conta, adicionando números. A ordem dos números na adição não influencia no resultado.

SUBTRAÇÃO

89 – 70 = 19

Na subtração, é preciso retirar de um número para o outro. Pode ser que dê negativo também, entretanto, na maioria das vezes é preciso verificar se deve “emprestar” do número esquerdo para realizar a operação corretamente. A ordem dos números influencia o resultado em uma expressão maior.

MULTIPLICAÇÃO

Conjunção (classificação e sentido que imprime às relações entre as orações)

Conjunção (classificação e sentido que imprime às relações entre as orações)

Conjunção:

É a palavra que liga orações basicamente, estabelecendo entre elas alguma relação (subordinação ou coordenação). As conjunções classificam-se em:

Coordenativas, aquelas que ligam duas orações independentes (coordenadas), ou dois termos que exercem a mesma função sintática dentro da oração. Apresentam cinco tipos:

  • aditivas(adição): e, nem, mas também, como também, bem como, mas ainda;
  • adversativas(adversidade, oposição): mas, porém, todavia, contudo, antes (= pelo contrário), não obstante, apesar disso;
  • alternativas(alternância, exclusão, escolha): ou, ou … ou, ora … ora, quer … quer;
  • conclusivas(conclusão): logo, portanto, pois (depois do verbo), por conseguinte, por isso;
  • explicativas(justificação): – pois (antes do verbo), porque, que, porquanto.

Subordinativas – ligam duas orações dependentes, subordinando uma à outra. Apresentam dez tipos:

Sentido próprio e figurado das palavras

Sentido próprio e figurado das palavras

Então temos assim: Sentido Próprio ou denotativo e sentido figurado ou Conotativo

SENTIDO PRÓPRIO OU DENOTATIVO

Você sabe o que significa Sentido Literal ou Denotação?

  • É o sentido literal da palavra ou expressão, e não precisa da ajuda do contexto para ser compreendido.
  • A palavra ou expressão em sua forma usual, tem valor denotativo.
  • É a palavra usada de modo automatizado, com o sentido do dicionário, é a linguagem comum.
  • A denotação é sempre impessoal e objetiva, ou seja, permite apenas uma interpretação.
  • Esta linguagem é basicamente informativa, ou seja, não produz emoção ao leitor.
  • É encontrada em textos de natureza informativa tais como: textos jornalísticos ou científicos, bulas de remédios, manuais de instruções.
  • Por exemplo: Compramos uma flor na floricultura perto de casa.
  • Flor tem o mesmo sentido que o apresentado no dicionário, não é preciso ver o contexto para saber o seu significado.
  • Outro exemplo: O menino foi picado pela cobra.
  • Cobra é usada em seu sentido literal, usual.
  • Não há outra interpretação da palavra cobra que não seja o animal cobra.

Obs: Origem da palavra – Denotação: do latim “denotare”, é o ato de denotar, sinal, indicação. É a propriedade do termo que corresponde à extensão do conceito.

Dica: Para não se confundir com o conotativo é só lembrar que Denotativo é a linguagem do Dicionário. Os dois começam com a letra D.

SENTIDO FIGURADO OU CONOTATIVO

  • O sentido figurado é quando o significado das palavras ou expressões muda de acordo com a situação.
  • Diz-se então que a palavra ganha valor conotativo, isto é, quando o significado é ampliado ou alterado no contexto, sugerindo ideias que vão além do seu sentido literal.
  • É o sentido amplo de uma palavra, usada de modo criativo, figurativo.
  • Possibilita várias interpretações.
  • Como varia de acordo com o contexto, tem um caráter mais pessoal, subjetivo.
  • É uma linguagem mais usada na literatura, poesia, e pode ser encontrada também em anúncios publicitários e na linguagem do dia a dia.

 

Exemplos

  • Por exemplo: Ela é uma flor.
  • O termo flor não tem o mesmo sentido que possui no dicionário, por exemplo.
  • Temos que analisar o contexto que foi inserido, para entender o que significa.
  • Outro exemplo: Aquele cara é um gato.
  • Aqui gato é empregado de forma figurada, modificando seu significado original de animal, e dando o sentido de pessoa bonita.
  • Mais um exemplo para ilustrar: O vento acariciou-me os cabelos.
  • O vento não tem como acariciar.
  • É preciso interpretar toda a frase para saber qual é o sentido dela.

Obs: Origem da palavra – Conotação: do latim “connotare”, ou seja, apresentar significado relacionado com o tema principal.

Fonte: Curso com certificado