Menu fechado

Categoria: Português

Fatores de textualidade

Fatores de textualidade

Texto é um conjunto organizado de palavras onde podemos achar uma relação entre suas partes dando um significado a ele. Para que este texto faça sentido temos sete fatores:

 

1 – Coerência:

Coerência é um elemento fundamental de textualidade, responsável pelo sentido do texto, depende não apenas da lógica interna do texto, como também da compatibilidade entre a rede conceitual (mundo textual) e o conhecimento de mundo de quem processa o discurso; É a harmonia de sentido entre os enunciados que constituem o texto.

coerência ou conectividade conceitual é a relação que se estabelece entre as partes de um texto, criando uma unidade de sentido.

Coerência Narrativa

Tem uma lógica entre ações e personagens. Cada ação obedece a um tempo que permite conhecer a ordem dos acontecimentos sem contradições.

Coerência Argumentativa

São dados argumentos ao texto como exemplos, opiniões e dados para validar a conclusão.

Também é preciso obedecer a uma sequência lógica de acontecimentos para sustentar a argumentação e possibilitar a compreensão da conclusão.

Saiba mais sobre COERÊNCIA

Variedades linguísticas

Variedades linguísticas

Variedades linguísticas é a mesma coisa que variações linguísticas, mas como o termo variações linguísticas é mais utilizada eu a utilizarei neste artigo.

As variações linguísticas são as mudanças que ocorrem na língua devido a fatores geográficos, históricos, sociais e culturais, ou seja, a língua se altera com o tempo ou lugar.

 

Tipos de variações linguísticas:

Argumentação

O que você vai encontrar nesta postagem:
  • O que é argumentação
  • tipos de argumentação: argumentação por citação, argumentação por comprovação e argumentação por raciocínio lógico

Esta matéria também pode ser pedida na seguinte: Compreensão e interpretação de textos argumentativos. 

O que é uma argumentação?

 

A argumentação é um recurso que tem como objetivo convencer alguém, utilizando fatos estudos, teorias e outros argumentos para alterar um comportamento ou opinião.

No texto argumentativo o objetivo é levar o leitor a concordar com você através de provas de que estamos corretos.

Podemos dizer que a argumentação tem dois lados, uma lógica que são os argumentos (razões) de que você está certo e a outra é pratica, que tem como objetivo a concordância da pessoa que você quer convencer.

Os argumentos apoiam-se em valores, crenças ou premissas que se supõem aceitos pela maior parte das pessoas.

Classes de palavras variáveis e invariáveis e seus empregos no texto

Morfologia: classes de palavras variáveis e invariáveis e seus empregos no texto

Morfologia: É a parte da gramática que estuda as palavras observadas isoladamente (classes de palavras). É o estudo da estrutura e formação das palavras, suas flexões e sua classificação.

Existem 10 classes de palavras que são divididas em variáveis e invariáveis.

Uso dos pronomes relativos

Pronomes Relativos: 

 

Pronomes relativos são pronomes que se relacionam sempre com o termo da oração que está antecedente, servindo ao mesmo tempo de elo de subordinação das orações que iniciam. Exercem, assim, uma função sintática na frase. Normalmente, introduzem as orações subordinadas adjetivas. Através da utilização de pronomes relativos, evitamos a repetição dos termos nas orações, sendo fácil relacioná-los e sintetizá-los.

 

Pronomes relativos

Exemplos:

Transitividade verbal

Transitividade verbal

 

Transitividade: é a necessidade que os verbos têm de serem completados. Se refere ao tipo de relação que um verbo transitivo estabelece com um complemento ao mesmo tempo da predicação verbal.

 

Gabriela precisa falar com você.

Valmir comprou um presente lindo para sua esposa.

Após passar no vestibular, João Volpi jogou a apostila fora.

 

Perceba o aluno que, para que a frase acima possua sentido completo, faz-se necessário a presença de um complemento para o verbo jogar. Pois, sem este, a frase não possuiria uma semântica completa.

 

Os verbos podem ser classificados quanto à sua predicação em:

 

Intransitivo:

Elementos de construção do texto e seu sentido: interpretação e organização interna

Para se interpretar um texto é preciso que o texto tenha coesão, ou seja, os elementos estão bem articulados entre si e coerência, que é uma relação lógica entre as ideias, sendo assim, o texto tem que estar harmonioso e as ideias não devem se contradizerem.

Elementos de construção do texto e seu sentido: Interpretação e Organização Interna

Caso preferir, no vídeo abaixo tem esta postagem em áudio e vídeo

Tenho três postagens que aprofunda estes assuntos:

Pressupostos e subentendidos

PRESSUPOSTOS

Uma informação é considerada pressuposta quando um enunciado depende dela para fazer sentido.

Considere, por exemplo, a seguinte pergunta: “Quando Patrícia voltará para casa?”. Esse enunciado só faz sentido se considerarmos que Patrícia saiu de casa, ao menos temporariamente – essa é a informação pressuposta. Caso Patrícia se encontre em casa, o pressuposto não é válido, o que torna o enunciado sem sentido.

Repare que as informações pressupostas estão marcadas através de palavras e expressões presentes no próprio enunciado e resultam de um raciocínio lógico. Portanto, no enunciado “Patrícia ainda não voltou para casa”, a palavra “ainda” indica que a volta de Patrícia para casa é dada como certa pelo falante.

Exemplos de pressupostos:
– Decidi deixar de comer carne.
Pressuposto: A pessoa comia carne antes.

– Finalmente acabei minha monografia.
Pressuposto: Demorou algum tempo para terminar a monografia.

– Alunos que estudam de manhã costumam ter melhor rendimento.
Pressuposto: Há alunos que não estudam de manhã.

– Desde que ela mudou de casa, nunca mais a vi.
Pressuposto: Costumava vê-la antes dela mudar de casa.

 

Reconhecimento das relações entre partes de um texto, identificando repetições ou substituições que contribuem para sua continuidade

Reconhecimento das relações entre partes de um texto, identificando repetições ou substituições que contribuem para sua continuidade

As habilidades que podem ser avaliadas por este descritor relacionam-se ao
reconhecimento da função dos elementos que dão coesão ao texto. Dessa forma, eles
poderão identificar quais palavras estão sendo substituídas e/ou repetidas para facilitar a
continuidade do texto e a compreensão do sentido.Essa habilidade é avaliada por meio de
um texto no qual é necessário que o aluno identifique relações entre as partes e as
informações do texto como um todo.
Exemplo:

O hábito da leitura
“A criança é o pai do homem”. A frase, do poeta inglês William Wordsworth,
ensina que o adulto conserva e amplia qualidades e defeitos que adquiriu quando
criança. Tudo que se torna um hábito dificilmente é deixado. Assim, a leitura poderia
ser uma mania prazerosa, um passatempo.
Você, coleguinha, pode descobrir várias coisas, viajar por vários lugares,
conhecer várias pessoas, e adquirir muitas experiências enquanto lê um livro, jornal,
gibi, revista, cartazes de rua e até bula de remédio. Dia 25 de janeiro foi o dia do
Carteiro. Ele leva ao mundo inteiro várias notícias, intimações, saudades, respostas,
mas tudo isso só existe por causa do hábito da leitura. E aí, vamos participar de um
projeto de leitura?
CORREIO BRAZILIENSE, Brasília, 31 de janeiro de 2004. p.7.
No trecho “Ele leva ao mundo inteiro várias notícias…” (? . 8), a palavra sublinhada refere-se ao
(A) carteiro.
(B) jornal.
(C) livro.
(D) poeta.

Este assunto faz parte da matriz de português:  Coerência e coesão no processamento do texto. 

Eu sugiro que você estude a matéria de coerência do texto que também é pedida da seguinte forma: Reconhecimento das relações lógico-discursivas presentes no texto, marcadas por conjunções, advérbios, preposições, locuções etc.

E você, qual o concurso você vai fazer? Deixe um comentário para mim, pois posso fazer postagens direcionadas para ele e te ajudar mais. Aproveita também para inscrever seu e-mail para receber conteúdos todos os dias.

Dica: Para você que não esta encontrando o conteúdo que precisa ou prefere estudar por apostilas dá uma olhada no site Apostilas Opção, lá eles tem praticamente todas as apostilas atualizadas de todos os concursos abertos. Caso queira saber por que indico as Apostilas Opção clique aqui!

Notações léxicas

Notações léxicas

Notações léxicas são os sinais gráficos que precisamos usar, obviamente na escrita, para representar alguns sons da fala, os fonemas. O uso das tais notações torna-se necessário, principalmente (há ressalvas… saiba) pelo fato de as 26 letras “nuas” do nosso alfabeto não serem suficientes para representar todos os fonemas que somos capazes de produzir, por isso, precisamos de “vesti-las”. Há também o fator lexical, a formação lexical. Acompanhemos a explicação para um melhor esclarecimento.

São notações oficiais da língua portuguesa:

Acento agudo (´) – usado para indicar a pronúncia aberta de uma vogal e para indicar a tonicidade da sílaba em que essa estiver (Sempre!).

     Ex.: café [ka’fé] = /é/ vogal anterior tônica aberta oral; /fé/ sílaba tônica

Acento circunflexo (^) – usado para indicar que a vogal deve ser pronunciada de maneira mais fechada e também para indicar SEMPRE a tonicidade da sílaba em que essa estiver.

     Ex.: tônica [‘tõnika] = /õ/ vogal posterior tônica fechada nasal; /tõ/ sílaba tônica

Variação linguística: emprego da linguagem formal e da informal

Variação linguística: emprego da linguagem formal e da informal

Linguagem formal e informal

Com a família e os amigos usamos uma linguagem mais descontraída, ou seja, uma linguagem informal. Com superiores hierárquicos usamos uma linguagem mais cuidada, ou seja, uma linguagem formal. Assim, podemos concluir que diferentes contextos sociais e comunicativos exigem diferentes linguagens.

É essencial que o falante saiba adequar o seu discurso aos diferentes contextos comunicativos, principalmente para garantir uma adequação linguística em contextos profissionais e acadêmicos.

Linguagem formal

A linguagem formal pode ser nomeada também de registro formal. É usada quando não há familiaridade entre os interlocutores da comunicação ou em situações que requerem uma maior seriedade.

Características da linguagem formal:

Hífen

A partir de 1º de janeiro de 2016, tornou-se obrigatório no Brasil o uso do novo acordo ortográfico da língua portuguesa. Apesar de a maioria das palavras permanecerem iguais, algumas alterações na acentuação e na ortografia devem ser levadas em conta.

Veja a seguir as principais mudanças na ortografia:

Com a nova regra ortográfica, o hífen passa a ser usado:

  1. Em vocábulos compostos, locuções ou encadeamentos, nos seguintes casos:

1.1 Usado em palavras compostas por justaposição que constituem uma unidade sintagmática e semântica.

Exemplos: ano-luz; tio-avô; médico-cirurgião; segunda-feira; guarda-chuva; sul-africano.

Atenção! As palavras compostas por justaposição que tenham perdido a noção de composição não são mais grafadas com hífen.

Exemplo: girassol; paraquedas; mandachuva e passatempo.

Funções sintáticas

Funções Sintáticas

FUNÇÕES SINTÁTICAS AO NÍVEL DA FRASE 

SUJEITO

 

PREDICADO

Função sintática desempenhada pelo grupo verbal. O predicado pode assumir a forma de um:

Verbo Ex. Ele (adoeceu)

Verbo + Complemento (s) Ex. Ele (concluiu os estudos)

Verbo + Predicativo do Sujeito Ex. Ele continua em casa.

Verbo + Modificadores (do GV) (Ontem), O Rui [deu uns brincos à Cátia]

VOCATIVO

É a função sintática que identifica o interlocutor e que ocorre frequentemente em frases imperativas, interrogativas e exclamativas.