Menu fechado

Emprego do sinal indicativo de crase

Emprego do sinal indicativo de crase

A ortografia oficial de uma língua é o conjunto de regras e padrões que definem a forma correta de escrita das palavras (emprego das letras), bem como o uso correto dos sinais de acentuação, emprego do sinal indicativo de crase e dos sinais de pontuação.

Nesta postagem veremos o emprego do sinal indicativo de crase e no final dela tem links para as postagens sobre emprego das letras, emprego dos sinais de acentuaçãopontuação

CRASE: é uma palavra de origem grega e significa “mistura”“fusão”. Nos estudos de Língua Portuguesa, é o nome dado à fusão ou contração de duas letras “a” em uma só. A crase é indicada pelo acento grave (`) sobre o “a”. Crase, portanto, NÃO é o nome do acento, mas do fenômeno (junção aa) representado através do acento grave.

A crase pode ser a fusão da preposição a com:

1) o artigo feminino definido a (ou as): Fomos à cidade e assistimos às festas.

2) o pronome demonstrativo a (ou as): Irei às (lojas) do centro.

Sintaxe da oração e do período

Sintaxe da oração e do período

 

Vamos começar respondendo a seguinte pergunta:

 

O que é análise sintática?

É uma parte da gramática que estuda a relação entre as palavras de uma frase, ou seja, é a função das palavras na formação dos períodos para que as frases tenham sentido.

Bom, agora é necessário sabermos o que seria exatamente uma frase, uma oração e um período.

Administração pública: princípios básicos

Administração pública: conceito e princípios

Administração Pública: Conceito

A Administração Pública se encontra inserida no Poder Executivo e se trata de um objeto do Direito Administrativo, podendo ser considerada tanto sob o ângulo funcional quanto sob o ângulo organizacional.

No ângulo funcional significa o conjunto de atividades do Estado que auxiliam as instituições políticas de cúpula no exercício de funções de governo, que organizam a realização das finalidades públicas postas por tais instituições e que produzem serviços, bens e utilidades para a população.

Domínio dos mecanismos de coesão textual – Emprego de elementos de referenciação, substituição e repetição, de conectores e outros elementos de sequenciação textual; emprego/ correlação de tempos e modos verbais

Domínio dos mecanismos de coesão textual: emprego de elementos de referenciação, substituição e repetição, de conectores e de outros elementos de sequenciação textual; emprego de tempos e modos verbais.

Palavras como preposições, conjunções e pronomes possuem a função de criar um sistema de relações, referências e retomadas no interior de um texto; garantindo unidade entre as diversas partes que o compõe. Essa relação, esse entrelaçamento de elementos no texto recebe o nome de Coesão Textual.

Há, portanto, coesão, quando seus vários elementos estão articulados entre si, estabelecendo unidade em cada uma das partes, ou seja, entre os períodos e entre os parágrafos.

Tal unidade se dá pelo emprego de conectivos ou elementos coesivos, cuja função é evidenciar as várias relações de sentido entre os enunciados. Veja um exemplo de um texto coeso:

Aplicações de biotecnologia na produção de alimentos, fármacos e componentes biológicos

Biotecnologia

Atualmente, os meios de comunicação têm divulgado inúmeras descobertas atribuídas ao uso de tecnologias avançadas associadas à biotecnologia. Alimentos transgênicos, modificados geneticamente, clonagem e tantas outras descobertas associadas ao tema predispõe a cada dia a necessidade de se saber pelo menos do que se trata essa tal biotecnologia.

A Biotecnologia apresenta várias definições de acordo com o olhar a ela lançado, mas de uma forma bem simples, é um conjunto multidisciplinar de conhecimentos que visa o desenvolvimento de métodos, técnicas e meios associados a seres vivos, macro e microscópicos, que originem produtos úteis e contribuam para a resolução de problemas.

Matrizes, determinantes e sistemas lineares

Matrizes, determinantes e sistemas lineares

 

Matrizes e Determinantes I

Matriz de ordem m x n : Para os nossos propósitos, podemos considerar uma matriz como sendo uma tabela retangular de números reais (ou complexos) dispostos em m linhas e ncolunas. Diz-se então que a matriz tem ordem m x n (lê-se: ordem m por n)

Exemplos:

A = ( 1 0 2 -4 5) ® Uma linha e cinco colunas ( matriz de ordem 1 por 5 ou 1 x 5)

Descontos: Conceito; Desconto simples (ou bancário ou comercial); Desconto composto

Desconto: Conceito, Desconto simples (ou bancário ou comercial); Desconto composto.

 Um pequeno resumo teórico para ter uma ideia geral retirado do Blog Milton Borba

DESCONTOS

São juros recebidos (devolvidos) ou concedidos quando o pagamento de um título é antecipado.

O desconto é a diferença entre o valor nominal (S) de um título na data do seu vencimento e o seu valor atual (C) na data em que é efetuado o pagamento, ou seja:

D = S – C

Os descontos são nomeados simples ou compostos em função do cálculo dos mesmos terem sido no regime de juros simples ou compostos, respectivamente.

Os descontos (simples ou compostos) podem ser divididos em:

  • Desconto comercial, bancário ou por fora;
  • Desconto racional ou por dentro.

Estado, governo e administração pública: conceitos, elementos, poderes e organização; natureza, fins e princípios

GOVERNO, ESTADO E ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA

 

conceitos

 

Conceito de Estado

O conceito de Estado varia segundo o ângulo em que é considerado:

I – corporação territorial dotada de um poder de mando originário;

II – comunidade de homens, fixada sobre um território com poder de mando, ação e coerção;

III – pessoa jurídica territorial soberana;

IV – pessoa jurídica de direito público interno;

IFMS 2016 – Conteúdo Programático

IFES

 

 

 

 

Concurso Público IFMS 2016

Página do concurso

Edital

Inscrição até 07/08/2016

Data provável da prova: 04/09/2016

Cargo: Técnico-administrativo

Conteúdo Programático:

CONTEÚDOS COMUNS A TODOS OS CARGOS TÉCNICO-ADMINISTRATIVOS NÍVEL SUPERIOR – CLASSE “E” E NÍVEL INTERMEDIÁRIO – CLASSE “D”:

LÍNGUA PORTUGUESA:

Textualidade: interpretação;

recursos estilísticos (ou figuras de linguagem).

Coesão e coerência.

Norma padrão e variantes linguísticas.

Ortografia: uso dos acentos gráficos.

Uso do sinal indicativo de crase.

Morfologia: classes gramaticais e processos de flexão das palavras.

Sintaxe:

de regência verbal e nominal;

de concordância verbal e nominal;

de colocação.

Uso dos sinais de pontuação.

Semântica:

sinonímia, antonímia, homonímia, paronímia;

polissemia (denotação e conotação).

Normas técnicas de redação oficial.

Obs. Serão cobradas as alterações promovidas pelo novo Acordo Ortográfico.

Organização administrativa da União; administração direta e indireta

Organização administrativa da União

 

 

 

 

 

 

 

 

Administração Pública Direta

 

A administração Direta também é conhecida como Centralizada e apesar da função administrativa seja realizada principalmente pelos órgãos do Poder Executivo, os outros poderes também tem a sua parte administrativa direta. A administração está em todos os níveis dos Poderes Executivo, Legislativo e Judiciário, tanto no federal, estadual, municipal e distrital.

A atividade administrativa da União é realizada pelo próprio governo através de seus órgãos.

Estes órgãos não tem personalidade jurídica própria. É a desconcentração da Administração pública. A desconcentração é quando o órgão ou entidade da administração é encarregada de executar os serviços distribuindo competências dentro de sua própria estrutura, para tornar eficiente a prestação dos serviços. Ex.: Delegacias ou Varas Judiciais.

Estes órgãos são vinculados a alguma esfera de Governo, podendo ser federal (Presidência e Ministérios), estaduais e distritais (governo e Secretarias e, municipais (Prefeitura e Secretarias)

Na Administração Pública Direta o Estado é ao mesmo tempo o titular e o responsável pelo serviço público.

A administração direta é formada pelos órgãos subordinados diretamente às pessoas políticas.

Administração Pública Indireta

A Administração pública indireta também é conhecida como descentralizada. Seu objetivo é executar tarefas de interesse do Estado, mas que não quer executar diretamente, então ele transfere sua execução para outras entidades (pessoas jurídicas).

A administração indireta ou descentralizada é formada pelas entidades administrativas, ou seja, é distinta da própria entidade política.

Estas entidades recebem através de outorga o poder de gerir um determinado serviço público ou de utilidade pública.

Estas entidades são personalizadas e com isso, não possuem vontade e nem capacidade para contrair obrigações por si próprios.

Estas entidades administrativas são as autarquias, empresas públicas, sociedades de economia mista e fundações públicas.

Autarquia


Números relativos inteiros e fracionários, operações e propriedades.

Números relativos inteiros e fracionários, operações e propriedades.

Potenciação e radiciação está no final da postagem.

NÚMEROS INTEIROS RELATIVOS

INTRODUÇÃO:

Observe que, no conjunto dos números naturais, a operação de subtração nem sempre é possível.

exemplos:

a) 5 – 3 = 2 (possível: 2 é um número natural)
b) 9 – 9 = 0 ( possível: 0 é um número natural)
c) 3 – 5 = ? ( impossível nos números naturais)

Para tonar sempre possível a subtração, foi criado o conjunto dos números inteiros relativos,

-1, -2, -3,………

lê-se: menos um ou 1 negativo
lê-se: menos dois ou dois negativo
lê-se: menos três ou três negativo

Reunindo os números negativos, o zero e os números positivos, formamos o conjunto dos numeros inteiros relativos, que será representado por Z.

Z = { …..-3, -2, -1, 0, +1, +2, +3,……}

Importante: os números inteiros positivos podem ser indicados sem o sinal de +.

exemplo

a) +7 = 7
b) +2 = 2
c) +13 = 13
d) +45 = 45

Sendo que o zero não é positivo nem negativo

EXERCÍCIOS

1) Observe os números e diga:

-15, +6, -1, 0, +54, +12, -93, -8, +23, -72, +72

a) Quais os números inteiros negativos?
R: -15,-1,-93,-8,-72

Flexão nominal e verbal

Flexão nominal e verbal:

O que é uma flexão nominal e verbal?

São morfemas (pedaço mínimo para expressar um significado) colocados no final das palavras para indicar que elas podem flexionar tanto nos nomes como nos verbos.

O ato de flexionar é mudar de forma, ou seja, a flexão nominal varia a forma dos nomes e a flexão verbal varia a forma dos verbos.

Se preferir o vídeo abaixo tem a postagem em vídeo e áudio:

 

FLEXÃO NOMINAL

Flexão nominal é o estudo do gênero e número dos substantivos, adjetivos, numerais e pronomes.

Essencialmente é o estudo do plural e gêneros dos nomes.

Ex.: Mala e malas ou cachorro e cachorra

 

FLEXÃO NOMINAL DE GÊNERO:

Os substantivos masculinos são precedidos pelo artigo “o”.

Ex. O cachorro ou o piloto.

Os substantivos femininos são precedidos pelo artigo “a”.

Ex.: A cachorra ou a pilota.

Formação do feminino:

Substantivos masculinos terminados em “o” substitui  por “a”:

Ex.: piloto por pilota

Substantivos masculinos terminados em “ão” substitui  por “ã”:

Ex.: o Anão por a anã ou o capitão por a capitã.

Substantivos masculinos terminados em “r” acrescenta a letra “a”:

Ex.: o cantor por a cantora

Pode acontecer em que substantivos masculinos terminados em “or” substitui por “eira”:

Ex.: O arrumador por a arrumadeira.

Tem substantivo que terminado em “e” mudam para “a” no feminino

Ex.: Elefante por elefanta

Substantivo terminado com “ês”, “L” ou “z” acrescenta o “a” no feminino.

Ex.: Freguês fica freguesa

Conforme o sentido da frase pode ser feminino ou masculino.

Ex.: A capital (cidade); o capital (dinheiro)

 

FLEXÃO NOMINAL DE NÚMEROS

Continua na parte 2

Uma das coisas mais importante para fixar conteúdos é fazer questões.Então não deixe de fazer!! QUESTÕES DE FLEXÃO NOMINAL E VERBAL