Classe de palavras: Adjetivos

Classe de palavras: Adjetivos

Esta matéria pode ser pedida também na seguinte forma: Adjetivo: classificação, formação, flexão e emprego; locução adjetiva; adjetivos que indicam nacionalidade (gentílicos).

No final da postagem tem várias videoaulas para complementar seus estudos.

E você, qual o concurso você vai fazer? Deixe um comentário para mim, pois posso fazer postagens direcionadas para ele e te ajudar mais. Aproveita também para inscrever seu e-mail para receber conteúdos todos os dias.

Dica: Para você que não esta encontrando o conteúdo que precisa ou prefere estudar por apostilas dá uma olhada no site Apostilas Opção, lá eles tem praticamente todas as apostilas atualizadas de todos os concursos abertos. Caso queira saber por que indico as Apostilas Opção clique aqui!

Bons estudos!

Adjetivo:

É a palavra variável que restringe a significação do substantivo, indicando qualidades e características deste. Mantém com o substantivo que determina relação de concordância de gênero e número.

  • adjetivos pátrios: indicam a nacionalidade ou a origem geográfica, normalmente são formados pelo acréscimo de um sufixo ao substantivo de que se originam (Alagoas por alagoano). Podem ser simples ou compostos, referindo-se a duas ou mais nacionalidades ou regiões; nestes últimos casos assumem sua forma reduzida e erudita, com exceção do último elemento (franco-ítalo-brasileiro).
  • locuções adjetivas: expressões formadas por preposição e substantivo e com significado equivalente a adjetivos (anel de prata = anel argênteo / andar de cima = andar superior / estar com fome = estar faminto).

São adjetivos eruditos:

  • açúcar – sacarino;
  • águia – aquilino;
  • anel – anular;
  • astro – sideral;
  • bexiga – vesical;
  • bispo – episcopal;
  • cabeça – cefálico;
  • chumbo – plúmbeo;
  • chuva – pluvial;
  • cinza – cinéreo;
  • cobra – colubrino, ofídico;
  • dinheiro – pecuniário;
  • estômago – gástrico;
  • fábrica – fabril;
  • fígado – hepático;
  • fogo – ígneo;
  • guerra – bélico;
  • homem – viril;
  • inverno – hibernal;
  • lago – lacustre;
  • lebre – leporino;
  • lobo – lupino;
  • marfim – ebúrneo, ebóreo;
  • memória – mnemônico;
  • moeda – monetário, numismático;
  • neve – níveo;
  • pedra – pétreo;
  • prata – argênteo, argentino, argírico;
  • raposa – vulpino;
  • rio – fluvial, potâmico;
  • rocha – rupestre;
  • sonho – onírico;
  • sul – meridional, austral;
  • tarde – vespertino;
  • velho, velhice – senil;
  • vidro – vítreo, hialino.

Classificação

Em termos de formação, os adjetivos são geralmente classificados em:

Simples
Quando formados por apenas um radical.
claro, escuro…

– Compostos
Quando formados por dois ou mais radicais.
amarelo-claro, azul-escuro…

Primitivos
Quando não derivados de outra palavra em língua portuguesa.
bom, feliz…

Derivados
Quando derivados de outros substantivos ou verbos.
bondoso, amado…

Existem ainda os adjetivos pátrios, que se referem à origem ou nacionalidade.
brasileiro, paulistano, santista…

Alguns gramáticos classificam o adjetivo segundo o aspecto:

  • Restritivo: restringem o substantivo, tornando-o único dentro do contexto: “homem brasileiro“, “casa amarela“, “colher prateada“, etc.
  • Explicativo: expressam uma característica inerente ao ser representado pelo substantivo, em geral para ressaltar tal característica: “sol quente“, “faca afiada“, etc.

Esta não se trata, entretanto, de uma classificação verdadeira uma vez que todos os adjetivos podem ser restritivos ou explicativos dependendo do contexto.

 

Flexão de adjetivos

 

Os adjetivos podem sofrer três tipos de flexão: por gênero, por [[Número (gramática)|número e por grau.

Flexão de Gênero

Quanto a flexão de gênero, os adjetivos são divididos em dois tipos ou gêneros:

  • Adjetivos uniformes : Apresentam uma única forma para os dois gêneros (masculino e feminino). Exemplos: capaz, competente.
  • Adjetivos biformes : Apresentam duas formas para os dois gêneros (masculino e feminino). Exemplo: o homem burguês (masculino)/a mulher burguesa (feminino)

Para formar o feminino, os adjetivos levam a vogal -a no final do adjetivo e para formar o masculino eles levam a vogal -o no final do adjetivo. Exemplo: criativo (masculino)/criativa (feminino). Pode haver exceções, como no caso dos masculinos terminados em -eu, que podem fazer o feminino em -eia (europeu, europeia).

Flexão de Número

O adjetivo flexiona-se no plural de acordo com as regras existentes para o substantivo.

  • Nos adjetivos compostos, como regra geral, só o último elemento vai para o plural. Exemplo: poemas herói-cômicos

Há exceção para o adjetivo surdo-mudo, que faz o plural surdos-mudos.

  • Não há variação de número nem de gênero para os seguintes casos:
    • adjetivos compostos com nome de cor + substantivo: olhos verde-mar
    • adjetivo azul-marinho: calças azul-marinho
    • locuções adjetivas formadas pela expressão cor + de + substantivo: chapéus cor-de-rosa
    • os substantivos empregados em função adjetivas quando está implícita a ideia de cor: sapatos cinza
Regras para flexão de número para adjetivos compostos
  • Nos adjetivos compostos, só o último elemento vai para o plural

Exemplos:

  • lente côncavo-convexas
  • Nos adjetivos cores, eles ficam invariáveis quando o último elemento for um substantivo

Exemplos:

  • papel azul-turquesa/papéis azul-turquesa;
  • olho verde-água / olhos verde-água

Flexão de Grau

A única flexão de grau propriamente dita dos adjetivos é entre o grau normal e o grau superlativo absoluto. Exemplos: atual – atualíssimonegro – nigérrimofácil – facílimo. Algumas palavras ainda admitem o grau comparativo. Exemplos: grande – maiorpequeno – menorbom – melhor (não confundir com o advérbio bem – melhor. Exemplo: Esse é bom, aquele é melhor ≠ Ele fez bem, você fez melhor).

Nos demais casos, o grau é indicado não por flexões, mas por advérbios. São distintos os seguintes graus:

  • Comparativo de igualdade: Usa-se para expressar que um ser tem um grau de igualdade a outro ser. Pode ser determinado pelas locuções: tanto…quanto…assim como…tão…quanto…do mesmo jeito que…, e outras variações. Por exemplo: “Fulano é tão alegre quanto siclano”.
  • Comparativo de superioridade: Usa-se para expressar que um ser tem um grau de superioridade a outro ser. Pode ser determinado pelas locuções: mais…que ou mais…do que. Exemplo: “José é mais alegre que Pedro”.
  • Comparativo de inferioridade: Usa-se para expressar que um ser tem um grau de inferioridade a outro ser. Pode ser determinado pelas locuções: menos…que ou menos…do que. Exemplo: “José é menos alegre que Pedro”.
  • Superlativo absoluto (analítico): Exprime um aumento de intensidade sobre o substantivo determinado pelo adjetivo, sem compará-lo com outros da mesma espécie. Exemplo: “José é muito alto“.
  • Superlativo absoluto (sintético): É expresso com a participação de sufixos. O mais comum é –íssimo. Exemplo: “Trata-se de um artista originalíssimo”, “Seremos tolerantíssimos”.
  • Superlativo relativo de superioridade: Exprime uma vantagem de um ser entre os demais da mesma espécie. Exemplo: “Luan é o mais alto de todos”.
  • Superlativo relativo de inferioridade: Exprime uma desvantagem de um ser entre os demais da mesma espécie. Exemplo: “José é o menos alto de todos”.

São superlativos absolutos sintéticos eruditos da língua portuguesa:

  • acre – acérrimo;
  • alto – supremo, sumo;
  • amável – amabilíssimo;
  • amigo – amicíssimo;
  • baixo – ínfimo;
  • cruel – crudelíssimo;
  • doce – dulcíssimo;
  • dócil – docílimo;
  • fiel – fidelíssimo;
  • frio – frigidíssimo;
  • humilde – humílimo;
  • livre – libérrimo;
  • magro – macérrimo;
  • mísero – misérrimo;
  • negro – nigérrimo;
  • pobre – paupérrimo;
  • sábio – sapientíssimo;
  • sagrado – sacratíssimo;
  • são – saníssimo;
  • veloz – velocíssimo.

Os adjetivos compostos formam o plural da seguinte forma:

  • têm como regra geral, flexionar o último elemento em gênero e número (lentes côncavo-convexas, problemas sócio-econômicos);
  • são invariáveis cores em que o segundo elemento é um substantivo (blusas azul-turquesa, bolsas branco-gelo);
  • não variam as locuções adjetivas formadas pela expressão cor-de-… (vestidos cor-de-rosa);
  • as cores: azul-celeste e azul-marinho são invariáveis;
  • em surdo-mudo flexionam-se os dois elementos.

Locução adjetiva

Locução adjetiva é a junção de duas ou mais palavras com função de adjetivo.

Elas são usualmente formadas por: uma preposição e um adjetivo ou uma preposição e um substantivo. São exemplos:

Conselho de mãe → Conselho materno

Conselho de pai → Conselho paterno

Dor de barriga → Dor abdominal

Período da tarde → Período vespertino

Bandeira do Brasil → Bandeira brasileira

Evolução do homem → Evolução humana

País muito rico → País riquíssimo (superlativo)

País muito pobre → País paupérrimo (superlativo)

Adjetivos Pátrios (gentílicos)

Adjetivos pátrios são adjetivos também chamados de “adjetivos gentílicos” que nomeiam as pessoas conforme o local onde nascem ou vivem. São adjetivos derivados, dado que têm quase sempre sua origem no nome do lugar a que se referem.

Exemplos: baiano; paulista; pernambucano; cearense; alemão; francês; nipo-brasileiro; luso-brasileiro;

Fonte: Wikipédia, Norma culta e toda matéria

VÍDEOS:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *