Menu fechado

Tag: português

Ponto de vista do autor

 

Ponto de vista do autor

Significado de Ponto de vista

Substantivo Masculino

Lugar onde fica o observador ou quem pretende ver, enxergar algo; local de onde se vê melhor.

[Figurado] Modo como se concebe ou se analisa uma situação específica; perspectiva: segundo o ponto de vista capitalista, a empresa visa o lucro.

[Figurado] Opinião própria; modo particular de entender, julgar ou perceber alguma coisa; opinião: meu ponto de vista é contrário às propostas apresentadas.

Fonte: dicio

Para compreender o texto devemos conhecer o máximo do autor, como sua posição ideológica, seu posicionamento teórico dentre outras coisas. É preciso detectar as ideias que o autor coloca como relevantes, buscando, sobretudo quando se tratar de gêneros argumentativos como artigos de jornais ou científicos.

Sentido próprio e figurado das palavras

Sentido próprio e figurado das palavras

Então temos assim: Sentido Próprio ou denotativo e sentido figurado ou Conotativo

SENTIDO PRÓPRIO OU DENOTATIVO

Você sabe o que significa Sentido Literal ou Denotação?

  • É o sentido literal da palavra ou expressão, e não precisa da ajuda do contexto para ser compreendido.
  • A palavra ou expressão em sua forma usual, tem valor denotativo.
  • É a palavra usada de modo automatizado, com o sentido do dicionário, é a linguagem comum.
  • A denotação é sempre impessoal e objetiva, ou seja, permite apenas uma interpretação.
  • Esta linguagem é basicamente informativa, ou seja, não produz emoção ao leitor.
  • É encontrada em textos de natureza informativa tais como: textos jornalísticos ou científicos, bulas de remédios, manuais de instruções.
  • Por exemplo: Compramos uma flor na floricultura perto de casa.
  • Flor tem o mesmo sentido que o apresentado no dicionário, não é preciso ver o contexto para saber o seu significado.
  • Outro exemplo: O menino foi picado pela cobra.
  • Cobra é usada em seu sentido literal, usual.
  • Não há outra interpretação da palavra cobra que não seja o animal cobra.

Obs: Origem da palavra – Denotação: do latim “denotare”, é o ato de denotar, sinal, indicação. É a propriedade do termo que corresponde à extensão do conceito.

Dica: Para não se confundir com o conotativo é só lembrar que Denotativo é a linguagem do Dicionário. Os dois começam com a letra D.

SENTIDO FIGURADO OU CONOTATIVO

  • O sentido figurado é quando o significado das palavras ou expressões muda de acordo com a situação.
  • Diz-se então que a palavra ganha valor conotativo, isto é, quando o significado é ampliado ou alterado no contexto, sugerindo ideias que vão além do seu sentido literal.
  • É o sentido amplo de uma palavra, usada de modo criativo, figurativo.
  • Possibilita várias interpretações.
  • Como varia de acordo com o contexto, tem um caráter mais pessoal, subjetivo.
  • É uma linguagem mais usada na literatura, poesia, e pode ser encontrada também em anúncios publicitários e na linguagem do dia a dia.

 

Exemplos

  • Por exemplo: Ela é uma flor.
  • O termo flor não tem o mesmo sentido que possui no dicionário, por exemplo.
  • Temos que analisar o contexto que foi inserido, para entender o que significa.
  • Outro exemplo: Aquele cara é um gato.
  • Aqui gato é empregado de forma figurada, modificando seu significado original de animal, e dando o sentido de pessoa bonita.
  • Mais um exemplo para ilustrar: O vento acariciou-me os cabelos.
  • O vento não tem como acariciar.
  • É preciso interpretar toda a frase para saber qual é o sentido dela.

Obs: Origem da palavra – Conotação: do latim “connotare”, ou seja, apresentar significado relacionado com o tema principal.

Fonte: Curso com certificado

Reconhecimento das relações lógico-discursivas presentes no texto, marcadas por conjunções, advérbios, preposições, locuções etc

Reconhecimento das relações lógico-discursivas presentes no texto, marcadas por conjunções, advérbios, preposições, locuções etc.

As habilidades que podem ser avaliadas por este descritor, relacionam-se ao reconhecimento das relações de coerência no texto em busca de uma concatenação perfeita entre as partes do texto, as quais são marcadas pelas conjunções, advérbios, etc., formando uma unidade de sentido. 

Essa habilidade é avaliada por meio de um texto no qual é solicitado ao concurseiro, a percepção de uma determinada relação lógico-discursiva, enfatizada, muitas vezes, pelas expressões de tempo, de lugar, de comparação, de oposição, de causalidade, de anterioridade, de posteridade, entre outros e, quando necessário, a identificação dos elementos que explicam essa relação.

Exemplo 1:

As enchentes de minha infância

Sim, nossa casa era muito bonita, verde, com uma tamareira junto à varanda, mas eu invejava os que moravam do outro lado da rua, onde as casas dão fundos para o rio. Como a casa dos Martins, como a casa dos Leão, que depois foi dos Medeiros, depois de nossa tia, casa com varanda fresquinha dando para o rio.

Quando começavam as chuvas a gente ia toda manhã lá no quintal deles ver até onde chegara a enchente. As águas barrentas subiam primeiro até a altura da cerca dos fundos, depois às bananeiras, vinham subindo o quintal, entravam pelo porão. Mais de uma vez, no meio da noite, o volume do rio cresceu tanto que a família defronte teve medo.

Interpretação de linguagem não verbal (tabelas, fotos, quadrinhos etc.)

Interpretação de linguagem não verbal (tabelas, fotos, quadrinhos etc.)

A linguagem pode ser não verbal, ao contrário da verbal, não se utiliza do vocábulo, das palavras para se comunicar. O objetivo, neste caso, não é de expor verbalmente o que se quer dizer ou o que se está pensando, mas se utilizar de outros meios comunicativos, como: placas, figuras, gestos, objetos, cores, ou seja, dos signos visuais.

Localização de informações explícitas no texto

Localização de informações explícitas no texto

Para que seja possível compreender o que vem a ser informação explícita em um texto, é preciso compreender que a linguagem verbal é polissêmica: um mesmo enunciado pode assumir diferentes sentidos em diferentes contextos e diferentes leitores podem atribuir sentidos distintos a um texto.

Vejamos a interação a seguir:

Aluno: [levantando a mão] Professora, você pode me dizer que horas são?

Professora: [olha no relógio e responde] Podem guardar o material, pessoal!

Aluno:Êba! [rapidamente, guarda o material, seguido por outros colegas]

Descrição – ordenação de elementos descritivos

Descrição – ordenação de elementos descritivos

Descrever é desenhar com palavras determinada imagem, de modo que a mesma possa ser visualizada pelo leitor em sua mente.

Pode-se descrever um ser, um objeto, ambientes, paisagens ou situações. Há uma ordenação dos elementos descritivos para que você possa formar uma imagem do que se quer mostrar.

A imagem que vai se construindo é semelhante a um retrato, só que são utilizadas palavras, e por isso é chamada de imagem verbal. Dependendo da riqueza de detalhes e clareza de informações essa imagem vai se tornando mais nítida e mais acessível a todos os tipos de leitores. Esse deve ser o principal objetivo de uma boa descrição.

Na descrição o ser e o ambiente são importantes. Assim, o substantivo e o adjetivo devem ser explorados para traduzirem com ênfase uma impressão.

Os pormenores são essenciais para se distinguir um determinado momento de qualquer outro, desse modo, a presença de adjetivos e locuções adjetivas é traço distinto de um texto descritivo.

Utilização de verbos de ligação. Eles servem para ligar o sujeito ao seu predicativo, na grande maioria dos casos.

Narração – sequenciação de fatos / temporalidade

Narração – sequenciação de fatos / temporalidade

A narração consiste em arranjar uma sequência de fatos na qual os personagens se movimentam num determinado espaço à medida que o tempo passa.

O texto narrativo é baseado na ação que envolve personagens, tempo, espaço e conflito. Seus elementos são: narrador, enredo, personagens, espaço e tempo.

A Narração é um tipo de texto que relata uma história real, fictícia ou mescla dados reais e imaginários. O texto narrativo apresenta personagens que atuam em um tempo e em um espaço, organizados por uma narração feita por um narrador.

Tudo na narrativa depende do narrador, da voz que conta a história.

Dessa forma, o texto narrativo apresenta uma determinada estrutura:

TEMPO: O intervalo de tempo em que o(s) fato(s) ocorre(m). Pode ser um tempo cronológico, ou seja, um tempo especificado durante o texto, ou um tempo psicológico, onde você sabe que existe um intervalo em que as ações ocorreram, mas não se consegue distingui-lo.

ESPAÇO: O espaço é imprescindível, e deve ser esclarecido logo no início da narrativa, pois assim o leitor poderá localizar a ação e imaginá-la com maior facilidade.

ENREDO: É o fato em si. Aquilo que ocorreu e que está sendo narrado. Deve ter um começo, um meio e um fim.

Dissertação – fato e demonstração / argumento e inferência / relações lógicas

Dissertação – fato e demonstração / argumento e inferência / relações lógicas;

Composição do texto escrito: dissertação – fato e demonstração / argumento e inferência / relações lógicas; 

As características de textos dissertativos:

Predomínio de conceitos abstratos para analisar e interpretar dados da realidade

Tipo de característica que implica no envolvimento de quem escreve, já que a sua apreciação decorre da manifestação de juízo de valor.

Independentemente de qual objetivo o autor pretende alcançar, ele deve desenvolver um projeto de texto anteriormente à escrita. Nesse projeto de texto, o autor deve selecionar, organizar e relacionar informações, fatos, dados, argumentos, relações de causa e consequência e opiniões que considera mais relevantes para abordar o tema e, assim, estruturar seu texto.

Classe de palavras – Parte 4

2 Adjetivo:

É a palavra variável que restringe a significação do substantivo, indicando qualidades e características deste. Mantém com o substantivo que determina relação de concordância de gênero e número.

  • adjetivos pátrios: indicam a nacionalidade ou a origem geográfica, normalmente são formados pelo acréscimo de um sufixo ao substantivo de que se originam (Alagoas por alagoano). Podem ser simples ou compostos, referindo-se a duas ou mais nacionalidades ou regiões; nestes últimos casos assumem sua forma reduzida e erudita, com exceção do último elemento (franco-ítalo-brasileiro).
  • locuções adjetivas: expressões formadas por preposição e substantivo e com significado equivalente a adjetivos (anel de prata = anel argênteo / andar de cima = andar superior / estar com fome = estar faminto).