Menu fechado

Abordagens clássica, burocrática e sistêmica da administração

APOSTILAS OPÇÃO - O CONTEÚDO CERTO PARA SUA APROVAÇÃO

CONCURSO PC-DF 2020 SAIU O EDITAL!

APOSTILA PREPARATÓRIA BANCO DO BRASIL

APOSTILAS PARA O CONCURSO DA CÂMARA DE IMPERATRIZ - MA

Abordagens clássica, burocrática e sistêmica da administração.

Todas as teorias administrativas podem ser utilizadas nos dias de hoje.

É muito importante o administrador conhecer todas para usar a melhor para determinadas situações. Quando ocorre novas situações a administração deve adaptar  suas abordagens para que estas teorias possam continuar sendo aplicadas.

Abordagem clássica

Clássica e Científica – a clássica apresentava ênfase na estrutura com Fayol e a científica ênfase nas tarefas com Taylor. Nesse contexto surgiu o Fordismo, ou seja, o modelo de produção em massa através de linha de produção que não exigia qualificação de pessoal reduzindo custos e aumentando produtividade. A aplicação prática deste modelo pode ser observada nas grandes indústrias, como automotiva, alimentícia entre outras.

Taylor → administração científica →Ênfase em tarefas →Aumentar a eficiência da empresa por meio do aumento da eficiência no nível operacional.

Fayol → Teoria clássica →Ênfase na estrutura→ Aumentar a eficiência da empresa por meio da forma e disposição dos órgãos componentes da organização e das suas inter-relações.

 

ORIGEM DA ABORDAGEM CLÁSSICA DA ADMINISTRAÇÃO

  • O início do século XX é dado como época “berço” da Administração como ciência. Origem da Abordagem Clássica da Administração
  • O surgimento da Abordagem Clássica de Administração é devida, principalmente, ao advento da Revolução Industrial.
  • Com ela, as empresas passaram por um processo de rápido e desorganizado crescimento, sendo necessária, portanto, uma atividade que abordasse as questões empresariais de maneira mais científica e menos improvisada, como era feito até então.
  • Outro fator importante é que, com o aumento das empresas e, complexidade de sua administração, bem como o crescimento da concorrência, a busca por meios de melhorar a eficiência das organizações tornou-se regra no período.
  • A divisão dos cargos e tarefas e a constante necessidade de redução de custos e desperdícios, fez com que os estudos desenvolvidos por Taylor e Fayol fossem tão marcantes em suas épocas.
  • Dois foram os introdutores: o americano Frederick Winslow Taylor e o francês Henry Fayol. O primeiro desenvolveu a chamada Administração Científica e o segundo a Teoria Clássica.

 

ABORDAGEM CLÁSSICA DA ADMINISTRAÇÃO (administração científica)

  • A Administração Científica, introduzida por Taylor nos Estados Unidos, tinha como principal preocupação aumentar a produtividade e eficiência no nível operacional das empresas.
  • O foco principal era a divisão do trabalho, as tarefa e a separação dos cargos. Por essa razão, afirma-se que a Administração Científica parte de baixo para cima, ou seja, das partes (operários) para o todo (organização).
  • O principal estudo é dos tempos e movimentos:

– Os movimentos necessários para realização das atividades, o tempo necessário para tal execução e a especialização do trabalhador eram estudados de forma meticulosa, visando criar um padrão de comportamento. Dessa forma, a ênfase da teoria era a tarefa.

 

ABORDAGEM CLÁSSICA DA ADMINISTRAÇÃO (administração clássica)

  • Já a Teoria Clássica desenvolveu-se na Europa por meio dos trabalhos de Fayol.
  • Nesta, a preocupação básica era com a estrutura organizacional, ou seja, a disposição dos setores da empresa e as relações entre os mesmos.
  • Em razão disso, afirma-se que a Teoria Clássica possui abordagem inversa à Administração Científica, partindo de cima para baixo, ou seja, da organização para os departamentos. A ênfase é na estrutura e não nas tarefas.

 

ABORDAGEM BUROCRÁTICA

Conceito de MAX WEBER de chamada de “Teoria de Burocracia na Administração” (o que, mais tarde, se denominou de Staff, do Inglês), segundo ele, cada época social caracterizou-se por um determinado sistema político e por uma elite dentro de determinada Cultura que, para manter essa Cultura e consequentemente o poder dessa Cultura “Estatal”, e a sua também consequente legitimidade, desenvolveu um determinado aparelho ou estabelecimento – administrativo Staff (do inglês) para servir de suporte à sua autoridade e manter a sociedade nessa Educação, Administração e Cultura que é Dinâmica em toda Sociedade, ela não para o tempo e espaço devendo ser e estando a modernizar-se para sua sobrevivência e legitimidade evolutiva, segundo Max Weber.

De acordo com Chiavenato (2003, p. 254-255), na teoria da administração, a abordagem estruturalista surgiu com o crescimento das burocracias, em uma perspectiva de análise que vai além dos fenômenos internos da organização, visão pela qual as escolas de até então se restringiam.

Como afirma Chiavenato (2003), Max Weber foi o primeiro teórico que, em uma análise voltada para a estrutura, acreditava que a burocracia era a organização por excelência.

Para Weber tinha que adequar os meios aos fins (racionalizar). Uma organização é racional quando é eficiente. Assim, para Weber, a burocracia era a forma mais eficiente de uma organização. Ao sistematizar seu estudo da burocracia, Weber (Maximiano, 2000, p. 88) começa com a análise dos processos de dominação ou autoridade. Segundo o autor, “a autoridade é a probabilidade de haver obediência dentro de um grupo determinado”. Weber distinguiu três tipos de sociedade e autoridade:

Tradicional: também chamada de feudal, ou patrimonial, em que a aceitação da autoridade se baseia na crença de que o que explica a legitimidade é a tradição e os costumes. Em suma, os subordinados aceitam como legítimas as ordens superiores que emanam dos costumes e hábitos tradicionais ou de fatos históricos imemoriais;

Carismática: em que a aceitação advém da lealdade e confiança nas qualidades normais de quem governa. Em presença de um líder ou chefe que personifique um carisma invulgar ou excepcional, qualquer subordinado aceitará a legitimidade da sua autoridade.

Racional-legal ou burocrática: em que a aceitação da autoridade se baseia na crença, na legalidade das leis e regulamentos. Esta autoridade pressupõe um tipo de dominação legal que vai buscar a sua legitimidade no caráter prescritivo e normativo da lei;

 

Sociedades burocráticas

As grandes empresas, os estados modernos e os exércitos são caracterizadas pelo predomínio de normas impessoais racionalmente definidas. O tipo de autoridade (burocrática ou racional-legal) é justificado pela técnica, pela justiça, pela lei e pela meritocracia. A autoridade racional-legal prevalece nas sociedades ocidentais.

Par Weber burocracia tem várias vantagens:

Racionalidade, precisão na definição de cargos, rotinas bem organizadas, rapidez na tomada de decisão e regulamentos que reduzem erros e custos.

Como descrito por Chiavenato (2003, p. 268), o tipo ideal de burocracia weberiana tinha como uma das características a previsibilidade do seu funcionamento contribuindo para a obtenção de maior eficiência organizacional.

Segundo Weber, a burocracia torna a organização eficiente e eficaz, garantindo rapidez, racionalidade, homogeneidade na interpretação das normas, redução dos atritos ou discriminações e padronização (decisões iguais em situações iguais).

Fatores que favorecem o desenvolvimento da moderna burocracia segundo Weber:

  1. O desenvolvimento de uma economia monetária
  2. O crescimento quantitativo e qualitativo das tarefas administrativas do Estado Moderno;
  3. A superioridade técnica
  4. O desenvolvimento tecnológico.

A burocracia fixa as regras e normas técnicas para o desempenho de cada cargo

Profissionalização dos participantes

Rapidez nas decisões;

Uniformidade de rotinas e procedimentos;

Continuidade da organização através da substituição do pessoal que é afastado;

Redução no nível de atrito entre as pessoas;

Constância;

Subordinação dos mais novos aos mais antigos;

Confiabilidade;

 

A burocracia é baseada em :

caráter legal das normas

caráter formal das comunicações

a impessoalidade no relacionamento

a divisão do trabalho

APOSTILAS OPÇÃO - O CONTEÚDO CERTO PARA SUA APROVAÇÃO

CONCURSO PC-DF 2020 SAIU O EDITAL!

APOSTILA PREPARATÓRIA BANCO DO BRASIL

APOSTILAS PARA O CONCURSO DA CÂMARA DE IMPERATRIZ - MA

hierarquização de autoridade

rotinas e procedimentos.

competência técnica e mérito

especialização da administração

profissionalização

previsibilidade do funcionamento

Consequências previstas

previsibilidade do comportamento humano.

padronização do desempenho dos participantes.

 

Definição de administração burocrática

Conjunto de agentes públicos que devem obedecer aos procedimentos determinados e à rígida hierarquia e à separação de funções. Na administração burocrática, os procedimentos sobrepõem-se à eficiência. A orientação é que o procedimento seja rigorosamente cumprido, mesmo que o resultado adquira onerosidade ou deixe de surtir efeito.

Caso queira aprofundar o assunto sobre a teoria da burocracia é só acessar o link https://advancedme.webnode.com.br/teoria-da-burocracia-da-administracao/

 

Abordagem Sistêmica

Abordagem sistêmica é uma metodologia que busca conjugar conceitos de diversas ciências a respeito de determinado objeto de pesquisa. É baseada na ideia de um determinado objeto de estudo possuir diversas dimensões e facetas que podem ser estudadas e entendidas por diversas ciências e, que conceitos e princípios emanados de diferentes ciências podem ser empregados no estudo e compreensão de determinado fenômeno ele.

Escolas principais:

Cibernética e Administração:

A Cibernética é uma ciência relativamente jovem, foi criada por Norbert Wiener entre os anos de 1943 e 1947, na época em que surgiu o primeiro computador, bem como a Teoria de sistemas. Cibernética é a ciência da comunicação e do controle, no animal e na máquina. A comunicação é que torna os sistemas integrados e coerentes e o controle é que regula o seu comportamento.

A Cibernética é uma teoria dos sistemas de controle baseada na comunicação entre o sistema e o meio dentro do sistema, e do controle (retroação) da função dos sistemas com respeito ao ambiente, e compreende os processos e sistemas de transformação da informação e sua concretização em processos físicos, fisiológicos, psicológicos etc. de transformação da informação.

 

Teoria Matemática da Administração:

A Teoria Matemática aplicada aos problemas administrativos é mais conhecida como Pesquisa Operacional. A teoria matemática tem ênfase no processo decisório e procura trata-lo de modo lógico e racional, através de uma abordagem quantitativa deslocando a ênfase na decisão que antecede.

 

Teoria de Sistemas:

A Teoria Geral de Sistemas (T.G.S.) surgiu através dos trabalhos do biólogo alemão Ludwig von Bertalanffy. A Teoria Geral de Sistemas não busca solucionar problemas ou tentar soluções práticas, mas sim produzir teorias e formulações conceituais que possam criar condições de aplicações na realidade empírica. Ela critica a visão que se tem do mundo dividido em diferentes áreas do conhecimento, que classifica como arbitrárias, com fronteiras solidamente definidas e espaços vazios entre elas.

A Teoria Geral dos Sistemas afirma que as propriedades dos sistemas não podem ser descritas significativamente em termos de seus elementos separados. A compreensão dos sistemas somente ocorre quando estudamos os sistemas globalmente, envolvendo todas as interdependências de suas partes.

Fonte: Wikipédia, a enciclopédia livre

As principais diferenças entre as abordagens Clássica e Sistêmica da administração:

Abordagem clássica da administração

Reducionismo;

Pensamento analítico;

Mecanicismo.

Abordagem sistêmica da administração

Expansionismo;

Pensamento sintético;

Teleologia.

A lógica sistêmica procura entender as inter-relações entre as diversas variáveis a partir de uma visão de um campo dinâmico de forças que atuam entre si. Esse campo dinâmico de forças produz um emergente sistêmico: o todo é diferente de cada uma de suas partes. Os sistemas são visualizados como entidades globais e funcionais em busca de objetivos.

Com esses três princípios – expansionismo, pensamento sintético e teleologia – a Teoria Geral de Sistemas (TGS) proporcionou o surgimento da cibernética e desaguou na Teoria Geral da Administração. Foi uma verdadeira revolução no pensamento administrativo. A teoria administrativa passou a pensar sistematicamente. 

A abordagem sistêmica desenvolve-se em Tecnologia e Administração; Teoria Matemática da Administração e Teoria de Sistemas.

Fonte: Introdução à Teoria Geral da Administração. Idalberto Chiavenato – 8 ed. – Rio de Janeiro; Elsevier, 2011. Página: 385

RESUMO:

Abordagem Clássica:

Taylor- Adm cientifica-foco nas tarefas, especialização.

Fayol- Estrutura, POCCC (planejar, organizar, comandar, coordenar e controlar. Funções básicas: Técnicas, Comercial, Financeira, Segurança, contábil e Administrativa. 

Abordagem Burocrática – Meritocracia- MAX WEBER- Objetivo-Máxima eficiência da organização.

Abordagem Sistêmica – visão da organização como um todo- sistema aberto, visando interação, intercâmbio, troca de ideias.

Dicas importantes:

 

Gran Curso Online: Milhares de videoaulas e PDF. 230 mil questões de concursos e com mais de 650 mil aprovados. Saiba porque recomendo!

 

Apostilas Opção: 26 anos no mercado, produzindo apostilas completas e atualizadas. Saiba por que recomendo! 

2 Comentários

    • eder carlos

      Oi Jason, obrigado pela participação. Você poderia ser mais específico no seu comentário. Favor citar fontes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *